DOLCE VITA
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Meu Diário
22/10/2011 22h22
RESPOSTAS MALUCAS PARA PERGUNTAS RIDÍCULAS




Se você é assediado com questionários ou vive para preencher o cadastro da curiosidade alheia, bem-vindo ao clube das respostas malucas para perguntas ridículas!


Alguns exemplos de boas vindas:


 


1.   Você sabe ler? 


Não. O jornal é para embrulho.


 
2.  Você é casado?

Não! Essa aliança é apenas fetiche!

 
 
3.   Você está de saída?

Não! Sempre quis ser porteiro!


 
4.  Por que você escreve?

Para evitar conversar!


 
5.  Você sabe dançar?

Não! É tique nervoso.



 


Publicado por Dolce Vita em 22/10/2011 às 22h22
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
21/10/2011 22h22
FRASES MALUCAS

Há pessoas que são amadas sem o menor esforço. O trabalho é todo de quem as ama. Outras só conseguem ser amadas quando são conhecidas, enquanto muitas deixam de ser justamente por isto. E há aquelas que não conseguem ser amadas nem quando inventam um personagem.
 
Há pessoas que acreditam tanto no amor que sonham acordadas. Muitas, tão desencantadas, nem pesadelo amoroso tem mais. Há gente sozinha com brilho no olhar (e não é colírio). E outras tantas acompanhadas com sorriso triste.
 
Há pessoas que vivem histórias de cinema, comédias românticas, enquanto algumas poderiam vender direitos autorais para roteiros de filme de terror.
 
Há pessoas e amor de toda espécie. E, de vez em quando, entre tantos (des)encontros, escritores, cineastas, músicos, humoristas fazem sucesso com as histórias que (não) deram certo.
 
Afinal, falar de amor nunca perde a graça!


 


Publicado por Dolce Vita em 21/10/2011 às 22h22
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
20/10/2011 00h00
O PRIMEIRO LIVRO É UMA FESTA

 

 




Minha primeira publicação em livro. Compartilho essa alegria com todos vocês que, ao longo desses dois anos e meio, visitam minha página. Desde maio passei a escrever, além desse espaço, no site MundoMundano. Para quem ainda não conhece, confira sua história que começa com um blog premiado como um dos melhores do UOL. E cresceu. Tornou-se um site (www.mundomundano.com.br). 

Ali as pessoas encontram um canal para sua arte: palavra escrita, desenho, ilustração e fotografia. Caminhos e expressões diferentes, porém com uma marca registrada em comum: a irreverência.

Em 2010, o primeiro livro dos autores mundanos chegou às livrarias. E do site, nasceu o Instituto Cultural MundoMundano. Hoje literalmente espalhado pelos quatro cantos do mundo. No dia 10|11|2011, o MundoMundano comemora o lançamento do segundo livro "MUNDOMUNDANO E O SEU NOVO MUNDO" com a coletânea das melhores produções de 2011.

Meus contos minimalistas fazem parte dessa publicação que estará à venda nas Livrarias Saraiva e Cultura, Amazon, no Selo Editorial Prólogo, além do próprio MundoMundano.
 

 

Publicado por Dolce Vita em 20/10/2011 às 00h00
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
16/10/2011 23h54
CARTA PARA OS AMANTES

Confesso. Sou amante. Aliás, uma delas: as letras possuem muitos apaixonados. Quando penso na palavra, imagino um laço. A isca que desperta um sorriso, lágrima ou uma sonora gargalhada. Uma caixa de surpresas que se abre para muitos sentidos. Em outros momentos, tudo parece absoluto. A palavra é o som que nos cala. Tradução literal. No instante seguinte é tormento, ansiedade, mas também pode ser mansidão, quase uma paz.

Sagrada para quem escreve, a palavra transforma-se em altar do pensamento para dar forma, cor e luz às coisas da vida. E exige entrega. Do contrário, não haverá sentido.

Escrever é a arte que ninguém ensina, nem é possível aprender, além da técnica. Pode conter a leveza da respiração de um bebê dormindo no colo de sua mãe, ou abarcar maremotos de emoções que nos lançam em águas agitadas e bravias. Não importa o caminho. Será sempre natural porque expressar é humano.

Quem escreve sabe, ou talvez apenas sinta, que não pode explicar muito o que escreveu. Depois de escrita, a palavra cria asas, vida própria e como bailarina, surge diante de outros olhos que a seguirão em todos os seus movimentos.

Quem nos lê, verá uma tonalidade a mais, um novo sentido e nas entrelinhas, escritor e leitor marcam um encontro que só é possível através deste idioma da criação.

Neste mundo da palavra, a dor se transforma em sonetos, saudade em crônicas, perdas em contos e amor em romances.


Publicado por Dolce Vita em 16/10/2011 às 23h54
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
14/08/2009 02h05
NOSSA HISTÓRIA

             


 
No centro da minha alma cigana, as raízes

                         Eco da tua ausência se dilata em saudade
 


Horas vazias e sem destino dentro de mim

                         Espalham marcas entranhadas na memória
                 


Palmas estalam o som da distância irreversível

                        Piso na realidade, insubmissa ao derradeiro fim



E nada mais importa se estamos lado a lado

                        Nos parágrafos onde dança nossa história.






(*) Imagem Google


Publicado por Dolce Vita em 14/08/2009 às 02h05
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 4 de 12 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]