DOLCE VITA
Capa Meu Diário Textos Áudios Perfil Livros à Venda Livro de Visitas Contato Links
Áudios
A MULHER DE VERMELHO
Data: 18/05/2015
Créditos:
A MULHER DE VERMELHO

AUTORA E VOZ: DOLCE VITA
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
A MULHER DE VERMELHO
 
 

Tiago caminhava sem rumo pelas calçadas escorregadias. Desde o início da tarde, a chuva não parara um só instante. A cada passo aumentava sua vontade de gritar por socorro, mas ele fora educado para não incomodar os outros. Ainda que precisasse desesperadamente de uma pessoa com quem pudesse falar a respeito de suas angústias, Tiago não procurava ninguém.

A chuva fina complicara o movimento nas ruas. Uma mulher passou apressada por ele. A cor vibrante de sua capa vermelha contrastava com o guarda-chuva branco. O andar decidido daquela mulher encantara Tiago. Talvez por isso, ele — que vivia à deriva — resolvera segui-la.

Ao chegarem a uma praça, ela parou em frente à fonte. Ali, um pequeno anjo esculpido em mármore segurava um jarro que vertia água. A mulher molhou a ponta dos dedos levando-os à boca. E por quase meia hora — com o olhar preso ao anjinho de pedra — ela desatou a falar da vida.

Atônito, Tiago acompanhava de perto aquela cena. Enquanto ouvia o inusitado desabafo, rendeu-se à curiosidade:

— Por que você conversa com uma estátua?

A mulher virou-se bruscamente. Irritada, ela bufou antes de responder:

— Pra não ser interrompida!



 
 
 
(*) IMAGEM: ANDRE KOHN "ROUGE et BLANC".
 
Enviado por Dolce Vita em 18/05/2015
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários